10/11/2015

Você está do avesso


Meu querido,
Escrevo-lhe pois ultimamente tenho estado tão cansada de mim mesma, que tenho que compartilhar isso com alguém. Talvez você fique cansado também, mas não tem importância.

Será que hoje vai chover ou o céu só fechou para mim? Não sei porque insisto em escrever coisas tristes, sendo que neste momento tudo em minha vida está caminhando perfeitamente bem.

Decidi que não importa quantas vezes isso se torne necessário, querido, mas sempre que eu cansar de quem sou, me permitirei um novo recomeço, pois a vida se renova a cada dia.

Acredito que essa seja a graça do primeiro dia de um mês. Do amanhecer do dia 10. De uma segunda-feira qualquer e a famosa "dessa vez eu começo minha dieta". É a graça do ano novo, de uma semana nova, de um novo dia: acreditar que a vida está renascendo a cada dia que passa.

Quero renovar aquela esperança que me fazia ter brilho nos olhos, mas preciso que algo termine para ganhar meu tão esperado renovo. E tenho medo disso.

Ah, eu tenho tanto medo de uma nova vida, quanto tenho de não conseguir novas oportunidades. Os anos foram passando e eu me deixei passar com a vida.

Ela veio diante de meus olhos, e alçou vôo como uma poderosa águia pelo campo. Os anos passaram. Não me tornei a escritora que sempre quis ser, mas isso, admito, foi culpa minha.

Quem sabe o que os próximos amanheceres não reservam a mim?

Os anos se passaram. E embora eu saiba que tanta coisa mudou, por que ainda sinto aquele imenso vazio lá no fundo? Tudo parece outro. Tudo parece diferente. Ousado. Peculiar.

Está tudo novo. Eu sou uma nova versão de mim mesma. Mas ainda sinto como se nada tivesse mudado. São meus sentimentos que ainda pesam quando subo na balança?

Quero poder lhe contar as novidades com o mesmo entusiasmo que as recebo, mas tenho estado tão do avesso que nem mais sei o que me é entusiasta.

Os anos se passaram.

Passaram-se como um instante percorre o fundo de meu olhar, e tomam a minha íris de cor. Passou. Tudo passa.

E se tudo passa, passarei eu também pela vida enquanto ela me percorre? Não sei o que acontece. Só sei que tudo está tão diferente que no íntimo parece que nada nunca mudou.

Eu estou do avesso. Mas você está neste avesso comigo. Ou vai me dizer que também não reparou que a vida andou tão depressa que nos deixou para trás?
Os anos passaram tão rápidos. E eu ainda sou aquela menina insegura que vivia inebriada em sua timidez.

Passaram-se os anos. E mesmo virada ao contrário e perdida no mundo que criei para mim, não quero perder tudo outra vez.

8 comentários:

  1. Você sempre me deixa sem palavras com seus textos!!!!!! Lindo

    ResponderExcluir
  2. Juu, quanto tempo que eu não aparecia por aqui, não é? :x
    Adorei o texto! Me identifiquei muito, principalmente com "Decidi que não importa quantas vezes isso se torne necessário, querido, mas sempre que eu cansar de quem sou, me permitirei um novo recomeço, pois a vida se renova a cada dia". Estamos sempre em constante mudança, não é porque só temos uma vida que precisamos ser apenas uma pessoa! E a graça de mudar está no evoluir. Os sonhos às vezes parecem distantes, e sim, pode até ser nossa própria culpa, mas não podemos esquecer de continuar sonhando, e mais que isso, de nos dedicar aos nossos sonhos.

    Beijos,
    www.naestradadafantasia.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Mari!

      Pois é, muito tempo, hehe. Eu sempre dou uma passada no seu blog, embora ultimamente não tenha comentado muito.

      Com toda certeza. Devemos sempre nos dedicar ao que amamos.

      Abraços.

      Excluir
  3. Me dá um abraço aqui.

    ResponderExcluir
  4. Oii Juliana, tudo bem ?
    Adorei o texto, conheci seu blog há pouco tempo mas já considero muito <3 kkkk
    Beijoss

    http://leitora-mirim-oficial.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá! Tudo bem sim e você?

      Hahah, obrigada. ♥

      Abraços.

      Excluir